35º Batalhão da Polícia Militar promove evento voltado para a saúde da mulher

Patrocinado - Anuncie aqui

VENCER NÃO É COMPETIR COM O OUTRO, É DERROTAR SEUS INIMIGOS INTERIORES

Mulher em foco

(veja a galeria de fotos no final da matéria)

Em todo o país, o mês de outubro é destacado para o cuidado com a saúde da mulher. Instituições, órgãos públicos e empresas desenvolvem atividades de conscientização sobre os cuidados necessários para evitar o câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce. No dia 19 de outubro, o 35º Batalhão da Polícia Militar convidou o efetivo feminino da corporação para uma manhã de palestras e outras atividades, no auditório do Sesc Santa Luzia.

Patrocinado - Anuncie aqui

A abertura do evento foi feita pelo subcomandante do batalhão, o Major Renato Fredericci. “Estamos aproveitando essa temática do Outubro Rosa para reunir as nossas policiais militares femininas e passar um pouco para elas sobre a prevenção do câncer, em especial aqueles que são mais comuns entre as mulheres”, destacou.

As mulheres presentes participaram de uma palestra sobre os riscos e as formas de prevenção ao câncer de mama, ministrada pela ginecologista e obstetra Ana Paula Abreu. Segundo a médica, que também é especialista em ginecologia oncológica, o mais importante é que o cuidado seja constante. “A gente escolhe um mês primordial para tentar usar de todas as artimanhas públicas e estratégicas para frisar sobre a importância do diagnóstico precoce e a prevenção de doenças, que pode ser feito com pequenos hábitos saudáveis, como a prática de atividades e uma alimentação balanceada”, explicou a médica.

Outro tema abordado durante o evento foi a autoestima. A psicóloga do 35º Batalhão, a Tenente Adriana Purisch foi responsável por ministrar uma palestra e promover uma dinâmica sobre autoconhecimento entre as participantes.

“O militar tem um trabalho complicado e a correria do dia a dia acaba nos impossibilitando de pensar um pouco sobre a nossa saúde, não só a saúde do corpo, mas também a saúde da mente. Em momentos como esse, buscamos trazer a tropa para essa reflexão. Ajudar as pessoas a entender e desenvolver a autoestima, influencia diretamente em na vida delas”, pontuou.

A sargento Yamara Cleide participou das atividades e aprovou o encontro. “É muito importante tratar de temas como esse. Por mais que as essas informações sejam divulgadas em diversos veículos de comunicação, muitas vezes nós estamos atarefados e deixamos passar desapercebidas. Então, quando saímos dessa rotina para participar de um evento como esse, é um olhar para nós mesmos, buscando nossa saúde.

Além disso, vendo como todas essas atitudes são importantes, nós acabamos propagando isso, levando para os nossos familiares e todos aqueles com quem convivemos”, reforça.

Após as palestras, os presentes ainda se animaram com uma divertida aula de zumba.

Outubro Rosa

A Campanha Outubro Rosa surgiu na década de 1990, nos Estados Unidos, com o objetivo de chamar a atenção e divulgar casos de câncer de mama. No Brasil, a primeira iniciativa partiu de um grupo de mulheres, em 2002, e foi marcada pela iluminação rosa do Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo. Anos mais tarde, entidades relacionadas ao câncer de mama iluminaram de rosa monumentos e prédios em diversas cidades. Aos poucos, o Brasil foi ganhando a simbólica cor em todas as capitais e o mês de outubro tornou-se símbolo da luta pela prevenção e tratamento.

O câncer de mama é o tipo que mais provoca a morte de mulheres no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens. Quanto mais cedo, porém, o diagnóstico, mais chances de cura. A entidade informa que, quando descoberto no início, há 95% de probabilidade de recuperação total. Para isso, basta fazer regularmente o autoexame e caso sinta alguma anormalidade, procurar um médico.

Patrocinado - Anuncie aqui

Deixe uma resposta