Cruzeiro empata com o Botafogo no Engenhão e termina o Brasileiro na quinta posição

Foto: Rafael Ribeiro/Light Press/Cruzeiro
Patrocinado - Anuncie aqui

Por Agência Estado , 03/12/2017 às 20:44

Não poderia ser de forma mais dramática. O Botafogo decepcionou e está fora da Copa Libertadores ao apenas empatar com o Cruzeiro por 2 a 2, neste domingo, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, na 38.ª e última rodada do Campeonato Brasileiro. A desclassificação só foi confirmada após o término da partida, quando a Chapecoense marcou o gol da virada sobre o Coritiba por 2 a 1, já nos acréscimos.

Com o empate e os demais resultados da rodada, o Botafogo encerrou o Brasileirão em 10.º lugar, com 53 pontos. Foi ultrapassado por Atlético e Chapecoense, que venceram Grêmio e Coritiba, respectivamente. O Cruzeiro, por sua vez, terminou em quinto, com 57 pontos, e já estava garantido na Libertadores por ser campeão da Copa do Brasil.

Patrocinado - Anuncie aqui

O Botafogo entrou em campo pressionado para buscar a vaga na Libertadores e acabou enfrentando dificuldades. O time carioca viu o adversário ter mais controle de bola e assustar logo aos sete minutos, em finalização de Lucas Romero. Aos poucos, os donos da casa foram se soltando e começando a atacar pelos lados do campo.

Em uma das primeiras boas investidas pela direita, o Botafogo conseguiu abrir o placar. Depois do levantamento de Léo Valencia Brenner cabeceou livre, no contrapé de Rafael, e fez o primeiro gol aos 25 minutos. Mesmo com a vantagem, o time carioca pressionava em bolas aéreas. E, em novo levantamento da direita, Dudu Cearense fez o desvio na primeira trave e Igor Rabello testou forte. Desta vez, Rafael fez grande defesa.

O Cruzeiro voltou a melhorar no final da primeira etapa e empatou aos 37 minutos. Lucas Romero arrancou pela direita, cruzou, Arrascaeta tentou de bicicleta e a bola sobrou para Thiago Neves mandar para as redes. Foi o 17.º gol do meia na temporada.

Os visitantes novamente estiveram mais ligados nos minutos iniciais do segundo tempo e conseguiram a virada aos quatro minutos. Thiago Neves e Arrascaeta tentaram tabelar dentro da área, mas a defesa do Botafogo conseguiu fazer o corte. Rodrigo Lindoso, no entanto, errou e deixou a bola para o uruguaio mandar para o fundo das redes.

Apesar da derrota, o Botafogo ainda se mantinha no grupo que garantia vaga na Libertadores. Mesmo assim, o time carioca pressionava. Guilherme tentou de longe e exigiu boa defesa de Rafael. Depois, aos 16 minutos, o goleiro contou com a ajuda da trave – Brenner finalizou da entrada da área, a bola desviou e carimbou o travessão.

A pressão botafoguense deu resultado aos 23 minutos. Ezequiel recebeu de Brenner dentro da área, fintou Bryan com um lindo corte e finalizou sem chances de defesa para Rafael. Foi o primeiro gol do jovem de 19 anos como profissional.

Rafinha ainda foi expulso por ter xingado o árbitro após uma falta. A única chance real do time carioca, no entanto, apesar da vantagem numérica, veio em cobrança de falta de Léo Valencia, que parou em outra boa defesa de Rafael.

Após o apito final, ainda no gramado do estádio do Engenhão, o Botafogo soube dos gols de Chapecoense e Atlético Mineiro, ambos no final dos jogos. E o clima que parecia ser de festa no início da partida se transformou em protesto da torcida.

BOTAFOGO 2 x 2 CRUZEIRO

BOTAFOGO – Gatito Fernández; Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Rodrigo Lindoso (Ezequiel), Dudu Cearense, Matheus Fernandes e Léo Valencia; Guilherme (Marcos Vinícius) e Brenner (Vinícius Tanque). Técnico: Jair Ventura.

CRUZEIRO – Rafael; Lucas Romero, Digão (Ariel Cabral), Murilo (Arthur) e Bryan; Lucas Silva, Henrique, Robinho e Thiago Neves (Alisson); Rafinha e Arrascaeta. Técnico: Mano Menezes.

GOLS – Brenner, aos 25, e Thiago Neves, aos 37 minutos do primeiro tempo; Arrascaeta, aos 4, e Ezequiel, aos 25 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Joel Carli (Botafogo); Henrique, Thiago Neves Arrascaeta e Lucas Romero (Cruzeiro).

Foto:
Rafael Ribeiro/Light Press/Cruzeiro

Mesmo sem qualquer pretensão no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro encarou o Botafogo, que lutava para chegar à Libertadores, de igual para igual neste domingo, no Engenhão, arrancando um empate por 2 a 2 na última rodada da competição.

Com isso, o time de Mano Menezes acabou indiretamente ajudando o arquirrival Atlético, já que um triunfo dos cariocas deixaria o Galo sem qualquer chance de classificação ao maior torneio do continente.

Na opinião do técnico celeste, a postura da equipe no Rio só reafirma a grandeza do clube e o profissionalismo dos atletas. “Tínhamos que lutar pela vitória com este tipo de comportamento. Esse time mostra que não foi campeão à toa, porque este sim é o comportamento dos grandes campeões. Independentemente de quem seja beneficiado ou não com o resultado que a gente fez”, disse.

“Se um dia nós estivermos nessa situação que outros estavam, nós gostaríamos muito que os outros tivessem o mesmo comportamento que o Cruzeiro teve hoje. Isso é a grandeza de um clube”, acrescentou Mano Menezes.

Patrocinado - Anuncie aqui

Deixe uma resposta