DO PARAÍSO AO INFERNO. Governantes espertos:

Advogados, padres, pastores, professores,
livres pensadores….

“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda.” Provérbios 16:18Carlos Barsosa
Pensamento: Nos dias de hoje, a busca incessante pelo poder, a ambição desmedida, o desejo de levar vantagem em tudo, cerceando os direitos do outro, aplicando golpes sendo espertos e astutos, tornaram-se marca registrada da natureza humana. É só olhar à nossa volta. O pecado de orgulho é a força motora de todos os outros pecados. A soberba manobra o coração do adúltero; o orgulho comanda as intenções do mentiroso; a altivez dirige a vida do ladrão. Mas não se engane, atente para o que diz as escrituras, o orgulho leva à destruição, e o espírito arrogante, à ruína.
Quantos poderosos aos seus próprios olhos se escorregaram em lamas que eles mesmos fizeram? Ludibriam às Leis, aplicam enormes golpes, fazem um furo na administração pública, conforme bem relatou nosso colunista na edição passada, Pseudodemocracias” Roney Silva. Intitulada “Papo reto, os ratos no poder.”
Governantes espertos: advogados, padres, pastores, professores, livres pensadores, no entanto ladrões. Agora do paraíso ao inferno: de governantes com anel de formatura a pulseira de metal, diretamente atrás das grades, não conseguiram segurar a onda em meio ao muito dinheiro. Pensando-se sábios, tornaram se loucos, antes em seus discursos se desvaneceram, soberbos, insolentes, presunçosos, roubaram sem misericórdia (Coração miserável). Agora, permeiam a cela e a falta de liberdade.
E com tanto dinheiro no bolso de alguns, falta investimento na saúde, educação, em todas as áreas e necessidades das pessoas; temos votado errado: em pessoas instruídas para manipular, extorquir e roubar. Temos elegido pessoas instruídas, doutores que estudaram para usufruir do erário público. Antes o povo votava e nada acontecia, elegiam leigos e analfabetos, hoje mudou-se o discurso, a confiança foi para o porão. Votar em leigos para conduzir o país não é a solução. Votar em quem se intitula sábio e experiente na política, soberbo de sua própria esperteza é a ruína. Sei que minha opinião não se aplica a todos, toda regra tem exceção.
O que vemos na atual conjuntura é que não importa a profissão ou crença. Não importa o nível de escolaridade ou de onde veio o representante do povo. Infelizmente, (a maioria) quando chegam ao poder o próprio poder “sobe para a cabeça”. Ai, meu amigo, não tem mais o advogado que quer cumprir a lei, não tem mais o religioso que quer seguir as normas de Deus, não tem mais o professor que deseja ensinar o certo para os estudantes… tudo isso ficou para trás. Entra no lugar um governante poluído pela corrupção, com sede pelopoder econômico. E o resto que continue como está…

Opinião de Carlos Barbosa – Reporter