Patrocinado - Anuncie aqui

O Brasil está nas mãos do governo. Pára ou continua?

O governo é uma grande panela de pressão: é preciso colocar fogo por baixo para apitar. A decisão estará nas urnas. Por quê no Brasil o voto não é facultativo?

Por: Carlos Barbosa. 24/05/2018 – Jornal Luz Metropolitana/agencia notícia RMBH-www.luzmetropolitana.com.br

 

O protesto dos caminhoneiros já prejudica o país em todas as áreas completando o 4º dia com bloqueio em mais de 60 estradas de MG. Somos solidários e unânimes. Estamos de acordo com a paralisação, pois há que se repensar em parar o Brasil até que seja colocado novamente nos trilhos. É necessário paralisar os outros setores também com a finalidade de diminuir a taxa tributária. Precisamos protestar contra os salários bilionários dos políticos, pois não sobra dinheiro para nada enquanto um grupo de representantes enriquece, grupo esse que não representa muita coisa.

Patrocinado - Anuncie aqui

Não se fala em paralização nem greve dos políticos. Em serviço os políticos já produzem pouco, de vagar “quase parando”, já pensou se fizesse greve???

Os salários não são escalonados nem atrasam. Ao contrário dos policiais e professores que além de receber um valor baixo não sabem quando vão receber. Pense nisso: a decisão está em nossas mãos. Em outubro dê a sua resposta, nosso gesto pode mudar nossa sorte.

A greve (em geral) é uma forma de manifestação do pensamento e, principalmente, reivindicação de direitos.

A resposta nas urnas não é outra coisa. Vale a pena votar em quem não fez e não fará nada? Mas aí surge a pergunta: quem fará?

Então é melhor perguntar objetivamente… “Vale a pena votar?”

 

Confira os pontos com bloqueios:

O quarto dia de protesto dos caminhoneiros contra o elevado preço do diesel tem pelo menos 50 pontos de bloqueios em rodovias de Minas na manhã desta quinta-feira. Em alguns lugares, não passará nem carro de passeios

BR-040:

KM 145 em João Pinheiro, Noroeste de Minas, mais de 2 dias de restrição;

KM 224 em João Pinheiro, Noroeste de Minas, de 1 dia de restrição;

KM 448 em Caetanópolis, Região Central, mais de 2 dias de restrição;

KM 511 em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana, de 1 dia de restrição;

KM 618 em Congonhas, Região Central, mais de 2 dias de restrição;

KM 627 em Conselheiro Lafaiete, Região Central, mais de 2 dias de restrição;

KM 699 em Barbacena, Zona da Mata, mais de 2 dias de restrição;

KM 780 em Juiz de Fora, Zona da Mata, mais de 2 dias de restrição;

KM 807 em Matias Barbosa, Zona da Mata, mais de 2 dias de restrição;

KM 810 em Matias Barbosa, Zona da Mata, mais de 2 dias de restrição.

BR-050:

KM 36 em Araguari, Triângulo Mineiro, mais de 2 dias de restrição.

BR-116:

KM 308 em Governador Valadares, Leste de Minas, mais de 2 dias de restrição;

KM 494 em Inhapim, Leste de Minas, mais de 2 dias de restrição;

KM 590 em Manhuaçu, Zona da Mata, mais de 1 dia de restrição;

KM 808 em Além Paraíba, Zona da Mata, mais de 2 dias de restrição.

BR-153:

KM 195 em Frutal, Triângulo Mineiro, mais de 1 dia de restrição.

BR-251:

KM 517 em Montes Claros, Norte de Minas, mais de 2 dias de restrição;

KM 504 em Francisco Sá, Norte de Minas, mais de 3 dias de restrição.

BR-262:

KM 49 em Manhuaçu, Zona da Mata, mais de 3 dias de restrição;

KM 368 em Juatuba, Região Metropolitana, mais de 3 dias de restrição;

KM 412 em Igaratinga, Centro-Oeste de Minas, mais de 3 dias de restrição;

KM 524 em Luz, Centro-Oeste de Minas, mais de 2 diasde restrição;

KM 631 em Ibiá, Alto Paranaíba, mais de 3 dias de restrição;

KM 694 em Araxá, Centro-Oeste de Minas, mais de 2 dias de restrição.

BR-356:

KM 269 em Muriaé, Zona da Mata, mais de 2 dias de restrição.

BR-365:

KM 472 em Patrocínio, Alto do Paranaíba, mais de 2 dias de restrição;

KM 689 em Monte Alegre de Minas, Triângulo Mineiro, mais de 2 dias de restrição;

KM 762 em Ituiutaba, Triângulo Mineiro, mais de 2 dias de restrição.

BR-381:

KM 260 em Ipatinga, Leste de Minas, mais de 2 dias de restrição;

KM 361 em João Monlevade, Região Central, mais de 3 dias de restrição;

KM 423 em Caeté, Região Metropolitana, mais de 2 dias de restrição;

KM 485 em Betim, Região Metropolitana, mais de 2 dias de restrição;

KM 513 em Igarapé, Centro-Oeste de Minas, mais de 3 dias de restrição;

KM 670 em Perdões, Sul de Minas, mais de 3 dias de restrição;

KM 734 em Carmo da Cachoeira, Sul de Minas, mais de 2 dias de restrição;

KM 754 em Três Corações, Sul de Minas, 2 dias de restrição;

KM 796 em São Gonçalo do Sapucaí, Sul de Minas, 2 dias de restrição;

KM 851 em Pouso Alegre, Sul de Minas, mais de 3 dias de restrição.

424 em grande parte impedindo até caminhonetas e fiorinos. 2º dia de retenção.

A resposta para o desmando será dada nas urnas, pense bem! Exerça seu direito de cidadania mas pergunte e reflita. Afinal, o voto deveria ser facultativo.

 

DIVIDA DE TODOS

O brasileiro trabalha 153 dias por ano para pagar impostos e juros. o BRASILEIRO PAGA 50 MILHÕES DE JUROS POR HORA. a DÍVIDA DO BRASIL PODE CHEGAR A 4 TRILHÕES DE DÓLARES em 2018.

É PRECISO DIMINUIR OS ALTOS SALÁRIOS BILIONÁRIOS QUE SE USA PARA PAGAR OS POLÍTICOS. ASSIM O BRASIL SAIRÁ DO BURACO.

A Lava jato é uma das grandes responsáveis pelos aumentos e inflação.

Mas quem tem que pagar a Petrobras são os políticos que surrupiaram e receberam propinas. Será preciso cortar na carne, diminuir os salários dos políticos. Assim dá para resgatar o Brasil desse abismo chamado inflação.

 

Gasolina passa de R$ 5 REAIS” em alguns postos: Não há limites para uma inflação tão alta no Brasil

“Nunca vimos tantos aumentos em pouco tempo”

 

Vários brasileiros já se mudaram do país por não suportar mais a alta carga tributária e a alta inflação. A começar do petróleo que desencadeia por todos os outros produtos, principalmente a cesta básica. 42% de toda a movimentação do país depende do diesel.

O constante protesto do povo brasileiro em busca de saída e o pedido de socorro do povo que não aguenta mais tanta cobrança tributária. Os pedidos de socorros batem às portas dos edifícios dos poderes. Este é o clamor velado pelo fim da corrupção, do caixa dois de campanha e a famosa compra de votos que ainda está suspenso aos olhos da fiscalização.

 

Operação lava jato completou quatro anos.

A lava jato foi responsável por beneficiar vários políticos. Agora é necessário aumentar o petróleo para repor o rombo, e quem paga a conta somos nós.

Centenas de políticos se projetaram através de propina advinda das grandes empresas, o que fez com que o combustível tivesse tanto aumento.

E você, ainda assim vai às urnas com prazer?

O Brasil vai parar!

O custo de vida do brasileiro é elevadíssimo. A carga tributária cada vez mais alta, políticas públicas ainda a desejar, estradas sem infraestrutura, a saúde no brasil é a pior possível, segurança mais ou menos… nem sempre depende do governo, mas às vezes depende dos pais-de-família, policiais que arriscam a própria vida para trazer conforto e segurança para uma sociedade revoltada com tantos aumentos, tantas paralizações, muitas greves, muita insatisfação.

Os políticos deveriam votar leis favoráveis aos brasileiros (frisa-se, não só uma classe de brasileiros).  É preciso diminuir os altos impostos e juros que pagamos.

Paralisação dos caminhoneiros

Os caminhoneiros querem a redução da carga tributária sobre o diesel e reivindicam a zeragem da alíquota de PIS/Pasep e Cofins e a isenção da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico). Os impostos representam quase a metade do valor do diesel na refinaria. Segundo eles, a carga tributária menor daria fôlego ao setor, já que o diesel representa 42% do custo da atividade.

Quando acessamos o portal da transparência, vemos os altos salários dos políticos que pode chegar a bilhões se somados ao longo do ano. Nem se arrisque somar ao longo do mandato. Ainda assim vamos votar de novo?

Somos sobretaxados pelo o governo para os políticos terem regalias e nós sermos levados cativos. A cada política promessas vazias… e você ainda vai votar.

 

 PESQUISA COMPLETA NO SITE DO MERCADO MINEIRO!

O preço da gasolina comum subiu 3.07% ou R$0,14. O menor preço médio é encontrado na Região Leste, onde o valor é de R$4,476 e o maior preço médio está na Região Centro-Sul e Barreiro, onde o valor é de R$4,59.

Na cidade de Betim, na Grande BH,o preço médio do litro da gasolina é de R$4,475. Já em Contagem o preço médio caiu está em R$4,487.  “Lembrando que em um ano o consumidor de Belo Horizonte pagava pelo preço médio da gasolina o valor de R$3,566 e 12 meses depois ele paga pelo litro deste combustível o valor de R$4,535, um aumento de 27.17% ou de quase R$1,00 a mais pelo litro”, confira o texto.

Etanol 

No caso do Etanol, o menor preço encontrado entre os postos pesquisados foi de R$2,680 e o maior de R$3,399, com uma variação de 26.83%. Na comparação realizada entre os preços médio no último mês, foi apontado que o preço médio do etanol caiu 6.38%, sendo que o valor médio era de R$3,070 e passou a ser de R$2,873. O menor preço médio do Etanol é encontrado na Região Noroeste, onde o combustível é vendido por R$2,826, e o maior preço médio do combustível é encontrado na Região Centro-Sul a R$2,919. 133 postos de combustível de Belo Horizonte e de cidades da Região Metropolitana mostra que o valor do litro da gasolina passa de R$ 5 em alguns postos da capital. O menor preço encontrado da gasolina comum foi R$4,295 e o maior R$5,099, variação de 18.72%.

“O site Mercado Mineiro vem analisando preços de combustíveis há mais de 17 anos e nunca se observou tantos aumentos consecutivos de preços em diversos setores da economia. Esta semana tivemos três reajustes da Petrobras seguidos”, ressalta em nota o diretor do site, Feliciano Abreu.

 

Patrocinado - Anuncie aqui

Deixe uma resposta