Qual a política você quer para sua cidade? Qual o político você quer para o futuro? Quais os políticos você quer para o Brasil?

Funilândia caminha a passos lentos.

O que mudou em Funilândia nos últimos 32 anos de governo?

O que se percebe é um crescimento desordenado e um aumento de eleitores

que nunca moraram na cidade.

Funilândia é uma cidade com mais de 300 anos, emancipada há mais de 52 anos. Tem uma política de colisão, vindo sempre de encontro aos munícipes. Falta políticas públicas, emprego e geração de renda.

Entra prefeito, sai prefeito e a cidade continua sendo um dormitório constante sem oportunidades. Saímos da oligarquia para anarquia, nada mudou.

Há que se escolher o novo, também se faz necessário fiscalizar e descobrir onde e quando foram destinadas as verbas receitas e emendas parlamentares. É preciso fiscalizar o Legislativo e o executivo. Aguarda-se uma prestação de contas públicas.

O que se pode perceber são meios-fios pintados, quebra-molas revitalizados e pouco mais realizado. O que mudou em Funilândia com suas escolhas?

O comércio.

Os preços praticados são abusivos, não há incentivo fiscal, não há quem se compadeça do pobre. As pessoas que conseguem sair do aconchego de seus lares, buscam nas outras cidades preços menos abusivos para a cesta básica.

Não há fiscalização dos tribunais. A cidade é apontada pelo censo com 3.800 habitantes e mais ou menos 4.500 eleitores.

Nos dias de eleição várias pessoas não sabem onde votar, nem se quer sabem onde é a escola e sessão onde votam. Até quando o voto terá preço?

Qual o político você quer para o futuro de sua cidade?

Renovação já! Na Assembleia Legislativa, na Câmara dos Deputados, no Senado, no Governo e principalmente na Presidência da República. Vamos eleger representantes legítimos e honestos. Vamos eleger o novo, vamos mudar o Brasil.

Crise econômica

O custo da cesta básica, do gás de cozinha, do diesel e da gasolina, eleva o país para um buraco sem fundo, uma enorme crise econômica assola  essa geração.

 Tributação fiscal.

Pagamos até 45% de impostos nos produtos, bens de consumo e serviços.

As grandes empresas movem suas peças para, no que é de direito, ocuparem seus lugares ao sol no futuro. O Governo e seus líderes políticos votam leis contra o povo pobre. Leis que oprimem ainda mais a quem quer que seja com a finalidade de torná-los reféns do poder e depois de empobrecidos, votam outra vez. Assim posto, sempre serão votados pelas propostas vazias nos períodos de eleição. Até quando?

TONINHO DO DEPÓSITO.

 

Patrocinado - Anuncie aqui

Deixe uma resposta